Eficiência Energética

Com o objectivo de cumprir com a Diretiva Comunitária 2002/91/CE  do Parlamento Europeu e  do Conselho, de 16 de Dezembro, relativa ao desempenho energético dos edifícios, o governo Português aprovou em 2006 uma série de medidas visando atingir a directiva europeia e aumentar a eficiência energética e consequentemente reduzir a contaminação por CO2 das construções (residenciais e comerciais)  em Portugal que são responsáveis por cerca de 30% do consumo final de energia de Portugal ( 40 % na  Comunidade Europeia ).

Tais medidas, adequam-se ao planeamento estratégico com que a UE aprovou em Dezembro de 2008 (plano 2020) com o objectivode dirigir o futuro da Europa através de um caminho sustentável, comu ma economia que gere poucas emissões de carbono e que consuma menosenergia. Para alcançar este ambicioso objectivo, propõe-se de uma forma geral:

•    redução das emissões de gases com efeito de estufa em,pelo menos, 20% relativamente aos níveis de 1990 (30%, se outros países desenvolvidos se comprometerem a realizar cortes comparáveis);
•    aumento da utilização das energias renováveis (eólica, solar, biomassa, etc.) para 20% da produção energética total (actualmente, cerca de 8,5%);
•    redução do consumo de energia em 20%, mediante um aumento da eficiência energética.

No âmbito português, foi criado o Plano Nacional de Acção para a Eficiência Energética (PNAEE ou  Portugal Eficiência 2015), que integra as políticas e medidas de eficiência energética a desenvolver. Se espera como resultado da implementação das medidas preconizadas no PNAEE o consumo de energia do país poderá ser reduzido em 10% e a factura energética diminuirá  1% por ano até 2015.

 

 

Importancia Isolamento