Produto

ROTULAGEM ECOLÓGICA DE PRODUTOS E PROCESSO DE FABRICO

1.1 Dados ambientais e fichas técnicas

Conscientes do compromisso com a sustentabilidade que temos como fabricante, incorporamos nas nossas fichas técnicas as quatro categorias de impacto ambiental que consideramos mais relevantes, baseadas nas DAP e nos cálculos de ACV próprios, seguindo os mesmos procedimentos para calcular os rótulos ecológicos tipo III.

Dados ambientais e folhas técnicas

Estas categorias são:

Consumo de energia primária renovável Consumo de energia primária renovável: reflete, do total de energia utilizada para o fabrico de 1 m3 de produto, a quantidade proveniente de fontes renováveis. Esta quantidade depende do local de fabrico do produto e do mix energético do país.
Consumo de energia primária não renovável Consumo de energia primária não renovável: reflete a parte de energia consumida para fabricar 1 m3 de produto proveniente de fontes não renováveis.
Tal como na categoria anterior, depende do mix energético do país de fabrico.
Potencial de aquecimento global: Potencial de aquecimento global: refere-se ao total de emissões equivalentes de CO2 derivadas do fabrico de 1 m3 de produto.
Consumo de agua Consumo de água: quantidade de água utilizada para fabricar 1 m3 de produto.

1.2 Rotulagem Ecológica de produtos
Os rótulos ecológicos são distinções voluntárias de valorização ambiental. Surgiram com a necessidade das empresas terem um sistema que lhes permitisse difundir o caráter ambiental dos seus produtos. Estão definidos oficialmente três tipos de mecanismos regulados por normas internacionais.

Rótulos ecológicos Tipo I
São rótulos voluntários que certificam oficialmente que certos produtos têm um menor impacto negativo sobre o meio ambiente. São outorgados por entidades certificadas independentes. Estabelecem-se seguindo a norma ISO 14024.

  Logo Eurofins Gold    Logo Greenguard    Logo Blue Angel    Logo Emissiones 

Rótulos ecológicos Tipo II
São auto declarações ambientais dos fabricantes, representadas em forma de símbolos ou gráficos. Regulamentadas pela norma ISO 14021 têm caráter informativo, não estão verificadas nem certificadas por uma entidade independente e são da responsabilidade do próprio fabricante.

Rótulos ecológicos Tipo III
Denominadas "Declaracões Ambientais de Produto" (DAP) e baseadas na Avaliação do Ciclo de Vida (ACV), são um inventário de dados ambientais  quantificados de um produto.
Criados para dar resposta a uma crescente procura de um método comparativo entre produtos que considerasse os critérios ambientais mais relevantes, sempre de um ponto de vista objetivo.
Este rótulo ecológico, ao contrário dos outros, não define critérios ou requisitos mínimos a cumprir, mas serve apenas para identificar os aspetos ambientais necessários para projetar uma imagem de consciência ambiental.

  Iníes    Logo EPD 

  DAP

    BREEAM    EDP  

1.3 Avaliação do Ciclo de Vida

 Avaliação do ciclo de vida

Avaliação do ciclo de vida dos produtosDescarregar Avaliação do Ciclo de vida dos produtos

1.4 Processo de fabrico

O processo de fabrico da nossa Lã Mineral começa na eliminação das matérias-primas nos silos de abastecimento, que em alguns casos inclui até 80% de material reciclado. Este material fornece os fornos, onde os materiais se fundem a temperaturas muito elevadas. 

Quando o material alcança a temperatura ótima de fusão, convertendo-se em magma, passa pelo processo de fibragem, no qual a lã é criada. Posteriormente acrescenta-se o ligante, se necessário para o produto - neste caso é submetido a um processo de polimerização. Por fim, a lã mineral já criada toma forma conforme as especificações do produto (formato, dimensões, etc.).

Quando o produto está finalizado procede-se ao embalamento de maneira eficiente, por forma a ocupar o menor espaço possível durante o transporte, com o objetivo de reduzir as emissões derivadas do mesmo.

Processo de Fabrico Lã Mineral