Isolamento térmico elegível para apoio

By [email protected]
July 21, 2021

O isolamento térmico para edifícios, nomeadamente em lã mineral, volta a ser um dos contemplados no programa “Edifícios Mais Sustentáveis”. As candidaturas podem ser feitas no site do Fundo Ambiental.

A 2ª fase do programa “Edifícios Mais Sustentáveis”, de financiamento para melhorar o desempenho energético e ambiental dos edifícios, foi lançada em Junho e dura até 30 Novembro de 2021 (ou até a verba prevista estar esgotada). Inserido no Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), que responde aos objetivos do Pacto Ecológico Europeu, o programa comparticipa até 85% dos custos com melhorias na eficiência energética, com uma dotação de 30 milhões de euros.

Em Portugal, 30% do consumo de energia provém dos edifícios, um gasto pouco eficiente e económico, com um impacto ambiental que é de 5% das emissões de gases com efeito de estufa para a atmosfera. É por isso um dos pontos apoiados pelo PPR, que tem a eficiência energética como um dos pilares.

No plano dos edifícios, o investimento em isolamento térmico e acústico permite tratar o problema da eficiência e do conforto desde a base, evitando pontes térmicas e por isso mantendo os níveis de temperatura no interior mais estáveis. Para além de mais conforto, o investimento em isolamento permite poupança energética, uma vez que não necessita de recorrer com tanta frequência a equipamentos de aquecimento ou arrefecimento.

As lãs minerais da Knauf Insulation utilizam Ecose Technology, ligante livre de fenóis e formaldeídos que garante uma emissão mínima de Compostos Orgânicos Voláteis (COV) e contribui para a obtenção de selos ambientais Breeam, Well, Leed ou Verde, para além da certificação A+ para a qualidade do Ar Interior e o Eurofins Gold.

 

Regras para os apoios concedidos

Como indicado no quadro abaixo, é possível ter os apoios para aplicação de isolamento térmico em coberturas, paredes e pavimentos:

O apoio é feito sob a forma de reembolso, ou seja, depois da obra terminada o proprietário comprova a execução e candidata-se ao apoio.

Para serem elegíveis, as obras têm de ter data posterior a 7 de setembro de 2020 e anteriores à data de submissão da candidatura. Quem já beneficiou do apoio na primeira fase pode voltar a beneficiar desde que o total não ultrapasse o limite máximo de apoio por pessoa.

Cada beneficiário pode receber até um máximo de 7.500 euros por edifício unifamiliar ou fração autónoma, e de 15.000 euros, no caso de edifício multifamiliar (prédio) em propriedade total.

As candidaturas são apresentadas através do preenchimento do formulário disponível no site do Fundo Ambiental: www.fundoambiental.pt