QUALIDADE DO AR INTERIOR

qualidade-ar-interior
Qualidade do ar interior
BIOHABITABILIDADE

Um edifício mais sustentável é mais saudável

Como parte da nossa missão, na Knauf Insulation apostamos em materiais sustentáveis para criar casas saudáveis.

Challenge. Create. Care

 

Investe-se em materiais mais eficientes, edifícios mais herméticos e com sistemas de ventilação inovadores, que consideram a qualidade do ar interior como um fator determinante para garantir o conforto e o bem-estar das pessoas.   

As pessoas passam, em média, mais de 80% do seu tempo em espaços interiores. A indústria da construção está em constante evolução para uma construção mais sustentável.

Uma das causas da má qualidade do ar são os COVs (Compostos Orgânicos Voláteis), substâncias químicas provenientes dos próprios materiais construtivos, causando efeitos nocivos para a saúde.

Embora o conteúdo do COV não esteja contemplado em nenhuma normativa, existe um quadro regulamentar (UNE 171339) que permite certificar a qualidade do ar interior, e realizar uma análise das substâncias contaminantes do ar. 

SABIA QUE?

  • Em média, o ar interior está entre 2 e 5 vezes mais contaminado que o exterior. 
  • Certificações como LEED e BREEAM têm em conta certificados de qualidade do ar interior para a sua realização. 
  • Em países como a França, Alemanha e Bélgica é obrigatório que os materiais certifiquem o seu baixo teor de COV. 
A lã mineral com ECOSE Technology utiliza uma tecnologia livre de ligantes e formaldeídos, o que a torna em uma fonte quase nula de COVs, garantindo a contribuição para a boa qualidade do ar interior dos espaços habitáveis, como demonstram os certificados Eurofins Gold e o selo francês A+.
Knauf Insulation
Certificados Qualidade do Ar Interior

No contexto da construção dos últimos anos, e em grande parte por falta de normativa reguladora, a qualidade do ar interior tem passado completamente despercebida no processo de construção.  

Atualmente, a eficiência energética ganhou peso na definição de um edifício e, por sua vez, associou o isolamento e a hermeticidade como um conceito de perdas térmicas, embora a combinação de ambos, sem uma boa ventilação, possa causar um problema grave na qualidade do ar interior.

  • Organizações oficiais como a OMS estimam que as pessoas passam entre 75% a 90% do seu tempo em espaços interiores (trabalho, ginásio, casa, etc.). 
  • As mesmas fontes também indicam que o ar nestes espaços interiores é em média 2 a 7 vezes mais contaminado do que o ar exterior. 
  • O SED (Síndrome de Edifício Doente) pode ser definido como os sintomas derivados de fatores presentes no ambiente do edifício. A OMS diferencia dois tipos: os derivados de edifícios novos e que acabam por desaparecer com o tempo; e aqueles em que os sintomas persistem ao longo do tempo.
saude-e-bem-estar
Compostos Orgânicos Voláteis

Os COVs definem-se como compostos químicos que se volatilizam no ar à temperatura ambiente. Estes compostos podem ser emitidos naturalmente ou por atividades humanas, e estão presentes tanto em ambientes exteriores como interiores. Se nos concentramos em ambientes interiores, eles estão presentes em uma grande variedade de produtos de limpeza e sabonetes, materiais decorativos, móveis e produtos da construção como pinturas, vernizes, madeiras, etc.

Infelizmente, desconhece-se em profundidade os efeitos que têm nas pessoas, mas sabe-se que tem um efeito negativo para a saúde e podem provocar irritações, por exemplo. Especula-se que 25% são possivelmente cancerígenos, ainda que não existam estudos de longo prazo que o demonstrem.